0

Pra tudo tem hora

jp

 

Confesso que as coisas não têm sido muito fáceis. João no auge dos seus dois anos tenta dominar tudo e eu tento, ou melhor, continuo tentando manter a elegância. Passamos por muita coisa nesse tempo em que o pé de feijão ficou desatualizado. A falta de tempo, o cansaço físico (e mental) eram barreiras que me bloqueavam pra escrever, enfim….João desenvolveu super bem a fala, tanto que só para quando está dormindo, entrou no maternal e está cada vez mais esperto. Sinceramente, não vejo a hora dos “terríveis dois anos” irem embora e começar uma nova fase. Espero profundamente que seja um pouco mais tranquila (otimismo sempre!).

Ele é um menino bem ativo e sempre está disposto a fazer alguma atividade. Descobriu que pode ser mais independente e quer fazer tudo sozinho, mesmo não conseguindo. Tem uma personalidade fortíssima, teimoso e tudo tem que ser na hora que ele quer e pronto! E é sobre isso que quero focar hoje, como ensinar nossos pequenos a esperar a hora certa.

Desde bebezinho, o João tem uma rotina que hoje é baseada em acordar, comer, ir para a escola, voltar para casa, tomar banho, comer, dormir, comer, brincar, brincar, destruir alguma coisa, comer, tomar banho e ir pra cama! Então, inconscientemente ele sabe que tem hora pra tudo e eu uso essa nossa rotina como referência quando preciso explicar que “agora não”, sem ele ficar tão irritado.

Há um tempo, repito sempre a mesma coisa quando não posso atendê-lo no momento solicitado ou quando não é hora de fazer alguma coisa. No começo ele ficava super bravo, gritava e queria por tudo nesse mundo que fosse atendido naquele momento, então a mamãe aqui dizia “João, eu sei que você quer, mas agora não dá. Nós temos a hora do almoço, certo? Temos a hora de tomar banho e de dormir, certo? Então, pra tudo tem a hora certa, você pode esperar?”  Depois de um tempinho, ele sempre se acalmava e esse tempinho está se reduzindo dia após dia.

    Percebi que fazer uma pergunta a ele era como se fosse um desafio, “você pode esperar? você consegue?” E funcionou, minha gente!! Claro que às vezes precisamos negociar algumas coisas, mas o mais importante é poder sentir que ele, aos pouquinhos, está aprendendo a esperar e a ser mais paciente. E eu, vou aprendendo junto.