0

Tempo seco aqui não é bem vindo

O olhinho doente

O olhinho doente

Moro em Anápolis,Goiás, há quase quatro anos e sempre quando as chuvas de verão param de cair e o tempo muda eu fico doente. Mas antes era só eu, agora somos dois. No seu quase segundo ano de vida é a segunda vez que o tempo seco influencia nossas vidas e faz algumas alterações na minha sanidade.

João começou com os sintomas do resfriado há quase duas semanas, aquela coisa…nariz escorrendo e um pouco de tosse. No mesmo dia preparei o nebulizador para ele fazer inalação e assim ajudar seu pequeno corpinho na luta contra o vírus.

Ficamos nessa rotina durante uma semana e ele não melhorava nem piorava, até coloquei uma bacia com água no quarto dele, já que nosso umidificador quebrou. E tempo ficando cada vez mais seco.

Mas há 3 dias, quando pela manhã fui buscá-lo no berço depois de chamar a “mamããe, mamããe” milequinhentas vezes, percebi que seu olho direito estava colado. Isso mesmo, co-la-do com remelas amareladas. O engraçado é que ele agia como se nada estivesse acontecendo enquanto eu fui correndo pra cozinha pegar o soro fisiológico na geladeira para limpar aquela melequeira.

Depois de limpo – e muitos gritos no meu ouvido – vi que o olhinho dele estava avermelhado e caidinho. Mas o pequeno destruidor estava tão tranquilo com relação a isso que eu apenas fiquei limpando com soro quando saía alguma remela. Percebi que ele não coçava então fiquei mais calma. O saco é que por causa desse resfriado e o nariz sempre entupindo ele começou a ficar beeeem manhoso, chorão e mais carente do que o normal. E cadê a paciência da mamãe que também estava doente? Cadê, cadê?!

Então, no terceiro dia de olho remelento e duas noites mal dormidas, levei a cria ao médico e ficou oficializada a infecção purulenta devido a bactérias patogênicas. Cuidando direitinho com um colírio específico de 6 em 6 horas, xarope expectorante, inalação, muito carinho e atenção, consegui uma melhora visível já no primeiro dia de tratamento.

Agora preciso juntar dinheiro e comprar logo um umidificador para dar um basta nesse “jeitinho brasileiro” de dormir ao lado de uma bacia cheia de água.

Anúncios
1

O que será?

João devorando um pedaço de melancia

   As crianças que ainda não falam são um pouco misteriosas. Claro, porque fica difícil de saber o que realmente está se passando naquele corpinho deles. Algumas coisas a gente descobre com aquele instinto mãe de ser mas outras…só o médico ou exames especializados.
Digo isso porque há mais ou menos dois meses o pequeno grande amor da minha vida começou a comer muito. Eram pratos generosos seguidos por fruta de sobremesa e suco. Sim, eu ficava bem feliz porque uma das melhores coisas que podem acontecer com uma mãe, além dos beijos e carinhos que eles dão, é ver o prato vazio.
Depois de uma semana de comilança desenfreada comecei a reparar que o João estava colocando pedra, terra, pedaços de parede e outras porcarias na boca. Desde bebezinho ele colocava bastante coisa na boca, mas eu fiquei preocupada porque ele começou a comer demais. E o que me veio á cabeça?! Verme, o menino está com verme.
Antes da consulta pediátrica fiquei pesquisando na internet os efeitos dos vários tipos de parasitas no corpo dos seres humanos e descobri que além de verme essa história de comer e comer pode ser causado também por anemia e, veja só, a anemia pode ser causada por deficiência de ferro, zinco e vitamina B12.
Finalmente o dia da consulta chegou e, claro, o João precisava fazer exames, de sangue e fezes para assim descobrirmos a causa disso tudo. Fiquei apreensiva porque se o pequeno estivesse anêmico o mundo cairia nas minhas costas com frases do tipo “viu só, você não dá carne pra ele” ou “ta doente porque não come carne” e mais um monte de outras coisas relacionadas a escolha da minha família ser vegetariana.
Deixei a cria de jejum e lá vamos nós colher sangue e entregar as três amostras de fezes, uma de cada dia diferente. Fiquei ansiosa o fim de semana inteiro, esperando esses resultados. E quando finalmente fui buscá-los, adivinhem…sem vermes e sem anemia, tudo nos conformes! Foi como se um peso fosse tirado das minhas costas, fiquei aliviada. Mas…e então? Porque raios o menino come tanto e fica colocando porcaria na boca?
Segundo o médico ele come porque tem apetite e coloca as coisas na boca porque ainda está na fase oral, fase que passa mais rápido pra algumas crianças ou é mais demorada para outras. Portanto, o jeito é agradecer aos céus por esse apetite, ficar atenta para meu coisa fofa não colocar muita porcaria na boca e, claro, ter muita paciência até essa fase passar.