1

Comer, comer. É o melhor para poder crescer.

Eu não queria falar sobre comida no meu novo post, mas fiquei tão desconcertada com o que assisti ontem, que não pude deixar de compartilhar minha indignação com vocês. Não sei se já ouviram falar mas “Muito além do peso” é um assustador documentário sobre a obesidade infantil que cresce a cada dia no Brasil e na maioria dos países (excluem-se a África, Colômbia, Cazaquistão e Indonésia).
E por que você acha que as crianças consomem tanta porcaria? Na minha opinião, porque os pais não impõem limites e porque a publicidade bombardeia as crianças com docinhos de heróis, salgadinhos de personagens bonitinhos, refrigerantes de bichinhos e tudo que é possível fazer para encantar uma inocente criaturinha.
Eu simplesmente não entendo como os pais deixam seus filhos consumirem tanto açúcar, sódio, conservantes e corantes até virar um problema de saúde como colesterol alto, diabetes, problemas cardíacos e outras coisas que vem a longo prazo. Gente, isso é muito sério!
O documentário mostra que, veja bem,  56% das crianças com menos de 1 ano de idade consomem refrigerante todos os dias e a maioria dos pais não sabem (ou fecham os olhos) para a quantidade de merda que tem naquela porcaria de latinha. Perdoem-me as palavras, mas é que eu fiquei horrorizada com tantos absurdos que vi.
Meu pequeno bagunceiro come doce só em festinhas – que eu ainda fico regulando por enquanto – e até hoje não dei refrigerante. Tudo bem que ele ainda não sabe de muita coisa mas se você oferecer ele vai gostar e com certeza vai viciar. Depois, para você ficar tranquila enquanto faz suas atividades, seu pequeno vai ficar sentado em frente a televisão sendo hipnotizado com as propagandas publicitárias sobre brinquedos super bacanas que vem com hambúrgueres podres cheios de conservantes que nem fungo quer. Bom, você assiste TV e sabe como acontece. Manipular as crianças é um ato de covardia. Deveria sim existir uma lei que impeça a associação de um brinquedo com uma porcaria de refeição.
Os pais são muito culpados por deixarem seus filhos comerem tanta coisa podre e ainda deixar a criança presa dentro de casa assistindo canais inúteis sem fazer nenhum exercício físico, impedindo-a de entrar em contato com a natureza ou com coisas mais construtivas intelectualmente. Criança precisa se mexer, se sujar de terra, encher a roupa de areia…concorda?
Existem meninos e meninas (e não são poucos) que não conhecem nada de legumes ou frutas, acham que batata é cebola, que mamão é abacate…poxa. É muito triste essa falta de consciência de muitos pais e mães. Eu não sou uma mãe super exemplar, mas tento fazer o máximo possível para que o João conheça frutas, legumes, verduras e saiba aprecia-los. Ele adora um brócolis, bate palma para uma couve refogada, come de boca cheia muita coisa nutritiva e claro, gosta muito de brigadeiro de festa.
Não podemos privá-los de tudo que é junk mas podemos ensinar como é bom comer bem e como nosso corpo agradece, senão nossos filhos morrerão primeiro do que nós.

Anúncios
0

Alimentando a preguiça

Sabe aqueles dias em que você acorda e a única coisa que gostaria de fazer é hibernar? Pois bem, isso agora é um luxo que eu não posso mais me dar o prazer. Quem é mãe de filho pequeno e não dispõe de alguém para ajudar sabe do que estou falando. Não é tooodo dia que eu quero cozinhar mas muitas vezes a maternidade me impede e outras a consciência.
Creio que você já sabe que somos todos vegetarianos aqui em casa e, na minha opinião – espero que na sua também – , fornecer uma alimentação nutritiva para crianças em fase de desenvolvimento é crucial. Tão importante quanto as sonecas ao longo do dia, que os fazem descansar e crescer.
Mas o negócio é o seguinte, naqueles dias de preguiça aguda em que cozinhar é um de seus últimos desejos, prepare uma macarronada rápida, saborosa e nutritiva para a pessoinha que mora com você (ah tá, claro. para você também, cansada leitora).
Mãos á obra! Coloque a água para cozinhar sem óleo nem sal com pedaços de abóbora (pode até ser com a casca) e deixe ela ferver por uns 5 minutos. Enquanto o fogo vai esquentando a panela, você pica bem picadinho cebola, alho, salsinha, cebolinha e tomates (eu prefiro sem casca). Depois de se certificar que a abóbora está cozida, retire-a com uma escumadeira, reserve, coloque o macarrão lá na água colorida e adicione um pouco de sal. Se você a cozinhou com casca, agora é a hora de retira-las.
E enquanto o fogo e a água fazem o trabalho de cozinhar o macarrão você pega outra panela e coloca azeite extra virgem para refogar o alho e a cebola. Depois de douradinhos, – garanto que a essa hora o cheiro que exala vai dar água na boca – adicione os tomates picadinhos e a salsinha com cebolinha. Deixe ferver um pouco, mexendo de vez em quando.
Logo o macarrão estará no ponto. Escorra-o e reserve só até você esmagar com um garfo a abóbora cozida e adicionar ao molho. Mexa, coloque um pouco de sal e outros temperos como manjericão ou orégano. Logo que ferver coloque o macarrão e pimba! Você tem uma simples e deliciosa macarronada sem muita louça suja! Geralmente eu sirvo com amêndoas ou castanhas do pará picadas, para elevar o valor nutricional e, modéstia a parte, fica gostoso pra caramba!

1

Brinquedo pra quê?!

O João tem 14154 brinquedos, ou seja, muito mais do que uma criança precisa e brinca com…3! O restante das brincadeiras envolvem minhas panelas, colheres de pau, tampas, vasilhas, revistas, CDs e tudo que NÃO for brinquedo e estiver ao alcance de suas mãozinhas.
Hoje enquanto preparava o almoço percebi um certo silêncio – silêncio em uma casa que há criança pequena nunca é um bom sinal – e fui sorrateiramente atrás da cria. Cheguei no quarto dele, olhei e fiquei uns 2 minutos rindo com ele olhando pra mim com aquela cara “mamãe, eu sei que você é meio doida mas, que tá rolando?”
Lá estava ele com uma peneira na cabeça – que, aliás, serviu perfeitamente – e uma colher de pau super concentrado em mexer seus carrinhos dentro da caçamba de um caminhão. Infelizmente, devido ao meu ataque de riso, não consegui pegar o celular a tempo pra tirar uma foto da cena completa. O que consegui foi um menino com uma peneira na cabeça com uma cara de “não entendi a graça”.
E entre um “não, João” e “saí daí, João Pedro”, terminei o almoço pensando por que raios o menino gosta tanto desse tipo de brincadeira. Óbvio. O que ele me vê fazer todo santo dia?! Bom, quem sabe eu terei um grande chefe de cozinha, assim inverteremos os papéis.

O chapéu de peneira
2

João e a alimentação

O assunto é de causar polêmicas, desfaz amizades, gera discussão em algumas das vezes e mesmo assim insisto em informá-los de que criança pode ser vegetariana sem que os pais fiquem carecas de preocupação. Pronto, agora você deve estar aí pensando “lá vem ela de novo com esse papinho”. Mas esse “papinho” não vai ser chato, pelo contrário. Quero contar algumas coisas sobre a alimentação do João Pedro, vulgo O Terrível.
Desde que me tornei vegetariana, sempre me preocupei com o que estava comendo para evitar quaisquer problemas com deficiências de vitaminas, portanto, me informei sobre o assunto e BAM! fiquei chocada. Me assustei com as pesquisas, documentários e artigos que li sobre nossa saúde quando consumimos carnes (sem contar todos os danos para o planeta e a falta de respeito para com os animais).
Bom, mas esse não é o caso. O caso é ter uma criança em fase desenvolvimento e vegetariana, isso sim é problema para a maioria das pessoas. “E as proteínas?! Ele não é desnutrido, fraco? Mas e o ferro?”. Calma lá gentem, não é nada disso, canso de repetir que a carne além de nociva ao corpo humano, é desnecessária. Só aceito seu consumo em caso de total privação de vegetais – sei lá, inverno no Alaska ou Sibéria – e mesmo assim, como alimento emergencial. Poxa, vivemos em um país tropical, vamos degustar tudo que a natureza nos propicia!
Talvez isso não entre na sua cabeça assim tão fácil, mas informe-se antes de julgar alguém por escolher um tipo de vida, de religião, alimentação ou seja lá o que for. O respeito começa em casa e também na mesa! O truque é saber usar os alimentos e combiná-los de forma que os nutrientes sejam potencializados. Cumé que é?
Vou dar um exemplo no caso do ferro: comer qualquer verdura verde escura (espinafre, couve, escarola, agrião, rúcula…) seguido por alimentos ricos em vitamina C (laranja, acerola, limão, abacaxi, morango…), potencializa a absorção do ferro no seu organismo. É pesquisando, lendo e cozinhando que vamos descobrindo as maravilhas da cozinha vegetariana.
Meu filho vai ao pediatra regularmente, é lindo (corujices á parte), tem um intestino que funciona muito bem, pele boa, uma vivacidade de dar inveja, uma energia que deixaria qualquer mãe surtada y otras cosas más. Taí a prova do meu godôfofura!

                                                              
Não vim aqui pra dar lição de vegetarianismo pra ninguém, só queria que os papais e mamães fossem conscientes na hora de alimentar seu filho. Prepare refeições bem coloridas e sucos naturais de preferência sem açúcar, abuse de frutas, deixe-o sentir, apertar, amassar, se lambuzar com os alimentos…a hora das descobertas é agora!! Faça agora para não se arrepender mais tarde, quando ele torcer o nariz para um lindo brócolis refogadinho com azeite e alho. Hummmmm

3

Tempo

Inesperadamente descobri minha gravidez. Durante os meses em que o pequeno estava sonhando dentro da minha barriga tudo ocorreu bem, mas quando ele se apresentou ao mundo a minha vida virou de cabeça para baixo, no bom sentido. Seios inchados e doloridos, noites sem dormir, mau humor, fraldas, xixi no rosto e choro, muito choro. Ser uma jovem mãe e estar longe da família requer paciência e um grande salto no amadurecimento pessoal.

  O tempo foi passando,ele foi se desenvolvendo, engordando e começando a mostrar sua forte personalidade. Hoje meu leonino tem 1 ano, 5 meses e 27 dias, cresce e me enlouquece a cada dia.
  Não tive problemas com o nascimento da maioria dos dentes a não ser pelos malditos caninos. Sim, malditos caninos!!! (Caras mamães, agradeçam aos céus e sei lá mais quem se seu filho não sofreu com esses dentes). Foi, por enquanto, a pior fase para nós dois. Febre, assadura, total perda de apetite e chatice aguda durante quase 1 semana. Depois que os dentes conseguiram rasgar a gengiva, tudo voltou ao normal.
  Hoje em dia ele é meu pequeno terrorista curioso. Quer ver e tocar em tudo (entenda-se por tocar em tudo: bituca de cigarro no chão, pedras, vidro quebrado, passarinho morto na rua, lixo, besouros, formigas, terra, areia, ração do cachorro, o cachorro…e por aí vai), eu fico atrás dele o dia todo e mesmo assim ele come besouro, ração, areia… Muitas vezes é tão exaustivo que quando a noite chega eu só quero deitar e dormir. Noites de luxúria? Ahn?!
   Exatamente por isso que eu quero falar sobre o tempo, quer dizer, a ausência dele na minha vida. Como mãe, dona de casa, mulher e empresária eu não tenho tempo para mim. Acho que você, que também é mãe de filho pequeno, me entende. Como pode um ser que não tem nem 1 metro de altura tomar todo o seu tempo e toda a sua energia?
Muitas pessoas me falam “aproveita essa fase porque passa rápido”, é…passa rápido mesmo. A vida é um sopro e se nós, mães, não fizermos alguma coisa para nós mesmas vamos envelhecer sempre fazendo tudo pela família e esquecendo do mais importante..eu, você e todas as mulheres que se dedicam a cuidar da “vida dos outros”.